Logotipo Intermediária de Imóveis Entre em Contato 51 3225.7100
Topo Menu Empresa Locações Vendas Condomínios Informações Legais Contato Topo Menu

Home >> Informações Legais >> Imobiliárias >> Devedor que depredou apartamento será multado e deverá ressarcir prejuízo

 
Informações Úteis

Imobiliárias > Devedor que depredou apartamento será multado e deverá ressarcir prejuízo

O Juiz de Direito Pedro Luiz Pozza, da 8ª Vara Cível do Foro de Porto Alegre, aplicou multa a devedor que depredou o apartamento antes de entregar o imóvel que foi a leilão e arrematado. Foram quebrados o vaso sanitário, arrancados azulejos e piso, com prejuízo superior a R$ 6 mil reais. A decisão ocorreu hoje (23/2).

Para o Juiz Pozza, o executado (réu em ação de execução) deve ser punido conforme o art. 17 do CPC, pois ao depredar o imóvel que não é mais de sua propriedade, incorreu nas sanções do art. 17, IV e V, do CPC.

O magistrado destacou que a atitude do devedor, além de causar prejuízo à arrematante, constitui verdadeira afronta à autoridade judiciária. “Estivéssemos nos Estados Unidos da América ou na Inglaterra, seria o caso de decretar a prisão civil do executado pela prática de contempt of court. Lamentavelmente, o juiz brasileiro nada pode fazer nesse caso, ao menos em relação à liberdade do executado, pois só se admite, no ordenamento pátrio, infelizmente, a prisão civil pelo não pagamento de alimentos.”

Salientou ainda que a execução de sentença tramita desde janeiro de 2005 e que o processo de conhecimento teve início em 1998. “Tal demora, com a qual contribuiu decisivamente o executado, desprestigia demais o Poder Judiciário, e exige medidas enérgicas por parte do juiz.”

Multa

O devedor deverá pagar multa de 10% sobre o valor da arrematação à arrematante, corrigidos pelo IGPM; ao condomínio, que ajuizou a ação, multa no mesmo percentual sobre o valor do débito atualizado, mais juros. Também deverá ressarcir o valor dos prejuízos que causou no imóvel, no valor de R$ 6.263,70.

Foi, ainda, imposta multa por litigância de má-fé.

Proc. 10501359030







Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul

Data: 23/02/2010

Busca


Voltar <<
Indique para um amigoImprimir Página
  Empresa     |     Locações     |     Vendas     |     Condomínios     |     Informações Legais     |     ContatoMarcador Rodapé
Rua Vigário José Ignácio  •  511  •  Centro  •  Porto Alegre  •  RS  •  51.3225.7100